• Fabiana Romanini

SUPERVISÃO CLÍNICA EM TERAPIA COGNITIVO-COMPORTAMENTAL (TCC)



A supervisão clínica é reconhecida como a forma mais eficaz de desenvolver competências terapêuticas e promover a boa prática do terapeuta. Desenvolvemos competências não só através da repetição, mas da repetição com feedback. Ou seja, não basta um profissional ter anos de experiência, ele precisa receber treinamento e feedback constante para se tornar um Expert. Isso só é possível através da supervisão clínica.


A supervisão ajuda o terapeuta a se engajar na prática reflexiva e deliberada, desenvolvendo habilidades e raciocínio clínico. Muitas vezes não está claro para o terapeuta o que ele não sabe ainda, quais as competências que precisa desenvolver. O processo de supervisão vai ajudá-lo a descobrir e desenvolver as habilidades necessárias para a boa prática.


Supervisão de caso ou supervisão baseada no desenvolvimento de competências?


A “supervisão de caso” é o método mais utilizado na psicologia e teve sua influência no ensino da psicanálise. O supervisor faz uma análise e instrui sobre o deve ser feito a partir do relato do caso e do atendimento. Por outro lado, a supervisão em TCC utiliza um modelo baseado no desenvolvimento de competências.


O que é o modelo baseado em competências terapêuticas?


O modelo baseado em competências identifica as competências (conhecimento/habilidade/atitude) clínicas do supervisionado, define estratégias de aprendizagem e formas de avaliação para acompanhar o progresso.


Nesse modelo a estrutura de supervisão é muito parecida com estrutura da sessão de atendimento com os pacientes, contando com : definição de agenda colaborativa; priorização dos itens, discussão e novas habilidades ensinadas e estabelecimento de um plano de ação, ou seja, o supervisionando tem a oportunidade de implementar na sua prática o conteúdo aprendido.


A relação terapêutica é pautada na colaboração e várias estratégias de aprendizagem são utilizadas como: descoberta guiada (aprendizado baseado em dados); role-play; vinhetas e vídeos; experimentos comportamentais, entre outras. Além disso, supervisor e supervisionado trabalham juntos para construir uma formulação das dificuldades e caminhos a serem seguidos para a construção da aprendizagem.


Portanto, o ensino em TCC segue os mesmos princípios do tratamento: colaboração, descoberta guiada, estrutura e conceitualização. A atuação como supervisor exige treinamento e competências próprias dessa prática. Logo, não basta ser um bom terapeuta para ser um bom supervisor.

Por Fabiana Romanini


Psicóloga formada pela Universidade Federal do Paraná

Especialista em Terapia Cognitiva Comportamental (ITC/2007)

Proficiente em Terapia Cognitivo Comportamental (CTC Veda/2015)

Mestranda em Educação e saúde pelo Instituto Israelita de Ensino e Pesquisa Albert Einstein

Treinamento em Ensino e Supervisão pelo Beck Institute (2016)

Terapeuta certificada pela Academy of Cognitive and Behavior Therapies (2018)

Ministrou mais de 1000 horas de supervisão clínica

Sócia fundadora da Habilitá- Supervisão em Terapia Cognitiva. @psifabiana_romanini

@habilitasupervisao

7 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo